• Festina Lente

Lori Gottlieb: editando a vida

Atualizado: 13 de Mar de 2020

A palestra de abertura do SXSW no dia 13/04 seria com LoriGottlieb , psicoterapeuta e escritora americana autora de vários livros há meses na lista dos mais vendidos do New York Times. Em 2019, lançou Maybe You Should Talk to Someone, ainda sem tradução em português.


Em “Talvez Você Precise Conversar com Alguém” (tradução livre), Lori fala da sua experiência como terapeuta e dos desafios que enfrenta com seus pacientes, ao mesmo tempo em que relata seu processo terapêutico.


O livro está sendo adaptado pela ABC com Eva Longoria no papel de Lori.


Ela também tem uma coluna semanal na revista The Atlantic’s weekly “Dear Therapist”, “Querido Terapeuta” (tradução livre) onde se debruça sobre os problemas e dilemas dos leitores, sempre buscando o que cada história tem de singular e de universal.


Quando nós pensamos “preciso falar com alguém sobre isso”, ou “sozinha não consigo resolver este problema”, o que estamos buscando são duas coisas fundamentais: a conexão com o outro, e o recontar de nossa história buscando ampliar ou criar pontos de vista diferentes.


Lori enfatiza muito o poder da narrativa tanto como escritora como psicoterapeuta. Perguntas do tipo: O que o personagem quer e o que o impede de conseguir? A história está avançando ou o personagem está andando em círculos? guiam a sua escrita e a sua prática profissional.


Fenômeno de mídia e TED speaker, sua palestra tem em torno de 2,511,717 visualizações. Possui livros traduzidos em mais de 20 idiomas e centenas de entrevistas em programas de TV. Lori enfatiza sempre que sua maior credencial é ser um “card-carrying member” da humanidade. O mais importante de toda a sua formação e de sua experiência é ter aprendido que “nós crescemos em conexão com os outros”.


Esta conexão leva ao desenvolvimento da Compaixão, palavra que vem do latim compassio, que significa o ato de partilhar o sofrimento de outra pessoa, ou por nós mesmos.


Seu trabalho devolve o protagonismo à vida de cada um. Nos lembra que somos donos da nossa história, criando narrativas, e, como editores mesmo, reescrevendo, cortando, adicionando, minimizando, enfatizando, buscando a palavra certeira que enriquece o texto.


69 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo